PEF e CIOT: quais são as regras?

setembro 18, 2019
pef_e_ciot_quais_sao_as_regras

Olá!

Agora que já falamos sobre o que é o PEF e para que serve o CIOT, vamos explorar um pouco mais falando de suas regras, respondendo alguns questionamentos:

Quando e quem está obrigado a seguir a Resolução 3.658?

Sempre que houver a contratação de um TAC (Transportador Autônomo de Cargas) ou seu EQUIPARADO (Pessoa Jurídica com até 3 veículos ou Cooperativas de Cargas), deve haver o registro de Pagamento Eletrônico de Frete e, por consequência, a existência do CIOT.

O CIOT é emitido através da inserção dos dados da Operação de Transporte em um sistema homologado, que em comunicação aos serviços da ANTT, gerará o Código Identificador da Operação de Transporte, o CIOT. No CIOT estarão inseridas todas as informações pertinentes a:

  • Dados do período da operação: o CIOT, assim como o MDF-e, possui um período de vigência ao qual o transportador fica vinculado com exclusividade (em alguns casos) a uma determinada operação, portanto, nele deve haver o prazo de início e final da operação. Após esse período, o documento deve ser ENCERRADO;
  • Participantes da operação: Contratante, Transportador, Condutor e Veículo. Importante citar que o Transportador, assim como seus veículos, deve possuir um RNTRC (Registro Nacional de Transporte Rodoviário de Carga) vigente, do contrário, o CIOT não é autorizado;
  • Dados sobre a carga: Origem e Destino, e descrição do material ao qual está sendo realizado o transporte. Fica a observação que o CIOT pode sim ter mais de um destino, ou seja: a carga pode ser quebrada em entregas, e é importante que todos esses destinos sejam formalizados dentro do CIOT;
  • Dados sobre impostos, taxas e contribuições previdenciárias do transportador/condutor;
  • Informações de pagamento de despesas e adicionais: é possível (não obrigatório) a inserção de valores adicionais ao pagamento do Frete ou Vale-Pedágio, como despesas de combustível, diárias, entre outras;
  • Informações de pagamento do frete: meio ao qual ocorrerá o pagamento, sendo que este, obrigatoriamente, deve ser eletrônico. Ou por meio de Transferência Direta ao Transportador ou pelo meio disponibilizado pelo Sistema Emissor Homologado – no caso do nddCargo, via Cartão nddCargo;
  • Informações sobre o pagamento de VALE-PEDÁGIO: o pagamento do pedágio também se faz obrigatório por um meio eletrônico, e a formalização sobre seu dado na viagem, deve estar formalizada dentro do CIOT.

Quais as punições em caso de não cumprimento na emissão do CIOT ou do PEF?

Primeiramente, é muito importante destacar que a ANTT, diferente da Receita Federal ou da SEFAZ, não possui um período de vigência sobre as operações, podendo a qualquer momento, autuar operações irregulares desde a existência da Resolução 3.658.

A ausência do registro do CIOT em uma operação, quando flagrante pode causar multa de R$ 1.100. Já a multa para quem efetuar o pagamento de forma diferente das previstas na Resolução 3.658, podem variar entre R$ 550 e R$ 10.500.

O grande ponto é que a auditoria sobre esses processos pode ocorrer tempos depois, e isso acaba sendo publicado no DOU (Diário Oficial da União) onde muitas empresas não possuem o costume de monitorar. Isso na prática faz com que empresas de transporte tenham uma autuação registrada, percam o tempo hábil para justificativa e saibam somente quando houver o Registro de Negativa na União sobre a dívida da autuação.

Para se ter uma ideia, somente em 2018 foram computadas na DOU mais de 2.226 autuações em Vale Pedágio e 1.227 autuações para irregularidades com o PEF, resultando em multas de R$ 446.600 e R$ 381.910 simultaneamente.

Em 2019, esse número vem numa crescente maior ainda: até meados de agosto, já foi possível identificar 887 autuações em Vale-Pedágio com um valor somado em R$ 475.100 e 1.608 autuações de irregularidades do PEF somando o montante de R$ 839.291.

As autuações da última lista publicada no DOU, possuía mais de 180 registros em uma única publicação, com autuação em operações ocorridas entre 2012 e 2016, ou seja: não há como prever se uma operação irregular no passado será ou não passível de ser autuada. Por isso, a importância de manter-se em dia com as regras do PEF.

solução nddCargo

No nosso próximo artigo, falarei um pouco mais sobre o processo de Emissão do CIOT, os meios de pagamento e como a NDD pode lhe apoiar com essa obrigatoriedade.

Até lá!

gostou? compartilhe para mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba conteúdos exclusivos!

Queremos saber quais são seus interesses.
Cadastre-se, é rápido e fácil!




    Eu aceito a Política de Privacidade

    Mostrar Aviso

    O que você está procurando?

    Suporte

    Para acessar escolha uma das soluções

    Caso você precise de ajuda ou tenha alguma dúvida, basta acessar o suporte!

    Telegram

    Com que você deseja falar?